quarta-feira, novembro 23, 2011

Copa do Mundo, Estatuto e o torcedor


Ultimamente, alguns políticos e aspirantes a tal vêm tentando impedir a venda de bebidas alcoólicas nos estádios durante a Copa do Mundo, alegando que esse comércio viola artigo do Estatuto do Torcedor. Estatuto esse que foi criado por eles. O tal torcedor não foi consultado para nada e somente empresta o nome. Alegaram que, com a proibição, a violência nos estádios e em seus entornos diminuiria. Pois bem, até agora não se viu nada disso. Em todo fim de semana, de norte a sul, toma-se conhecimento de briga de torcidas, quebradeira nos estádios, e por aí vai. Além do mais, a Copa do Mundo é um evento particular e pertence à FIFA, com a qual o Brasil, por meio de seus notórios comitês, comissões e afins, assinou um contrato, e um dos itens é exatamente esse em discussão - ou será que não leram essa parte?
Mas, tudo bem. No final das contas, eles estão fazendo o que seus times não fazem: jogar para a plateia. Seus nomes aparecem no noticiário e eles vão comemorar tomando uma biritinha, vendo um bom jogo de futebol da Copa, ao vivo, num estádio, é claro. Afinal, ninguém é de ferro.

Nenhum comentário: