quarta-feira, fevereiro 23, 2011

Brasileiro critica mundo virtual em site de localização e nas ruas de SP

Extraído da Folha.com

Por MARINA LANG

Tão próximos no mundo virtual, tão distantes na vida real.

A premissa, que vem sendo discutida na teoria com o filme "A Rede Social" e em textos como "Quero ficar na geração 1.0", publicado na edição deste mês da revista "Piauí", foi aplicada na prática pelo designer Julio Rafael Rocha, 31, nas ruas de São Paulo.

Ele usa o site de geolocalização Foursquare (grosso modo, a página mescla rede social e um tipo de game no qual você dá a sua localização por intermédio de um satélite GPS) para indicar dentro do próprio serviço o seu novo projeto de arte urbana (e crítica a um estilo de vida bastante contemporâneo), cujo nome é Mayor.

A palavra, que significa "prefeito" em inglês, é um caráter que determinado usuário ganha no Foursquare, a partir do momento em que atualiza (ou dá "check-in", no jargão do site) com bastante intensidade em uma determinada área ou local.

Na vida real, o trabalho consiste em um estêncil com uma coroa (símbolo do Mayor no site) que é espalhada por lugares da cidade --caso do famoso grafite da banda Ramones, na Vila Madalena (veja a foto abaixo). A vida real se estende, então, ao mundo virtual --as atualizações de localização, com as fotos do estêncil, são colocadas na internet.

Julio Rafael Rocha/Arquivo pessoal
A coroa de Mayor (prefeito) sobre o grafite de Johnny Ramone, da banda Ramones, na Vila Madalena, em SP
A coroa de Mayor (prefeito) sobre o grafite de Johnny Ramone, da banda Ramones, na Vila Madalena, em SP

"Enquanto todo mundo dá check-in [atualização] no Foursquare, eu dou check-in no mundo real. Desconectem e vivam a vida real", escreveu ele, em seu blog.

O trabalho foi categorizado pelo "New York Observer" como "invenção do grafite no Foursquare".

DEDO NA FERIDA 2.0

Mais que isso, trata-se de uma crítica ao excesso de check-ins, atualizações e tuítes nos quais estamos embuídos na sociedade 2.0.

Em apenas um mês de uso do Foursquare, o próprio designer já fez mais de cem atualizações do status de localização. O frenético hábito, então, foi criticado por alguém próximo.

"Começou com um amigo meu, que escreveu uma crônica inspirada em mim. Dizia, basicamente, que quanto mais conectados, mais solitários nós somos. Quis passar isso de um jeito às pessoas", disse Rocha à Folha.

A mensagem é direta e franca para a geração da internet, que vive e cria dependência --por vezes, desnecessária-- dela.

"Você não precisa estar conectado a toda hora. É uma crítica ao Foursquare também, e que foi reproduzida por eles próprios. Existe essa necessidade de fama, de ser reconhecido, de ser o Mayor, o prefeito, de um determinado lugar", aponta ele.

"A internet ajuda, sim. Mas as pessoas têm que usá-la de uma maneira que não interfira tanto nos relacionamentos fora dela. Às vezes, eu me sinto assim. É uma autocrítica."

Julio Rafael Rocha/Arquivo pessoal
"Desconectem e vivam a vida real", disse o designer, na primeira mensagem crítica ao padrão de vida de atualizações na rede
"Desconectem e vivam a vida real", disse o designer, na primeira mensagem crítica ao padrão de vida 2.0

E você o que acha?

Nenhum comentário: