segunda-feira, março 29, 2010

A estrela chora: morreu Armando Nogueira


Morreu, nesta segunda-feira pela manhã, aos 83 anos e vítima de um câncer, o jornalista Armando Nogueira, uma das mais destacadas personalidades do mundo esportivo e jornalístico.
Armando nasceu no Acre e veio para o Rio de Janeiro com 17 anos, onde se formou em Direito. Sua estreia na imprensa foi em 1950, no jornal Diário Carioca, onde foi repórter, redator e colunista. Em mais de 60 anos de carreira, passou pela Revista Manchete, O Cruzeiro, Jornal do Brasil, Bandeirantes, SportTV, Rádio CBN, entre outros.
Escreveu textos para o filme "Pelé Eterno" (2004) e é autor de dez livros, todos sobre esporte, incluindo A Copa que Ninguém Viu e a que Não Queremos Lembrar (em parceria com Jô Soares e Roberto Muylaert), A Chama que não se Apaga e A Ginga e o Jogo.
Foi um dos criadores do Jornal Nacional e do programa esportivo Globo Esporte.
Torcedor apaixonado do Botafogo, mantinha paixão, também, não só pelo futebol, como pela aviação e todos os demais esportes. Por essa razão, foi autor dos mais belos textos esportivos, que não podem ser considerados simples textos, mas verdadeiras obras de arte.
Hoje, não só os botafoguenses perderam um dos seus mais queridos admiradores, como o Brasil também perdeu uma de suas figuras mais ilustres.
Seu velório será no seu mais querido templo, o do futebol: o Maracanã.
A Estrela Solitária chora, como choram também as estrelas de nossa bandeira.
Obrigado por tudo, Armando. Descanse em paz!

Nenhum comentário: